Domingo, 29 de Maio de 2022
16°

Poucas nuvens

Jundiaí - SP

Geral Pará

Arquivo Público discute em palestra a Independência do Brasil e do Pará

Programação pelo bicentenário da Independência reuniu,neste sábado (14), pesquisadores, estudantes e o público, em geral

14/05/2022 às 18h25
Por: Redação Fonte: Secom Pará
Compartilhe:

Em alusão ao Bicentenário da Independência do Brasil, o Arquivo Público do Estado do Pará (Apep) realizou, neste sábado (14), a palestra “Às vésperas da Independência: A escrita da história nos documentos do Arquivo Público do Pará”, com a participação de pesquisadores, estudantes da área e do público, em geral. A ação faz parte da programação em homenagem aos 200 anos de independência do País, que contempla também exposições em escolas estaduais.

A palestra iniciou às 9h30 da manhã com ministração da mestre Michelle Barros de Queiroz, professora da Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará (UFPA). De acordo com a docente, a atividade proporcionou aos participantes o conhecimento, por meio de documentos históricos, os debates que circulavam entre a província do Grão-Pará, a corte do Rio de Janeiro e de Portugal. Através dessas correspondências, o público passa a conhecer mais sobre processo de independência brasileira e da adesão do Pará.

“Ao expor documentos históricos referentes ao processo de independência do Brasil, é importante direcionar o olhar para a construção do conhecimento a partir de uma perspectiva da própria província paraense, seja da capital, Belém, como de outras localidades, como Cametá ou Oeiras”, destaca Michelle.

Além da abordagem sobre a independência, durante a palestra foram salientados os estudos de campo da historicidade da província do Pará, no período que decorre de 1820 a 1823, e também o teor de documentos de municípios paraenses que fazem parte da pesquisa em andamento de Michelle Queiroz.

Para a palestrante, é importante potencializar essa discussão, que pode possibilitar estudos com novos recortes pedagógicos para professores e alunos. “É possível que a compreensão dessa história tenha novos sentidos para o público participante. Oportuno direcionar nossos olhares para revisitar alguns temas, questionar e refletir sobre os usos e as interpretações que podem ser feitos pela sociedade contemporânea”, explica.

A análise da professora ainda reflete a amplitude de compreensão subjetiva de cada participante da palestra, na qual o acesso aos documentos públicos pode favorecer olhares diferentes a partir da visão pessoal de cada um – sendo assim, uma importante ação do Arquivo Público para a população. “O Arquivo Público do Estado do Pará, como guardião de um rico patrimônio documental, é de fundamental importância para pesquisas em diversos campos, em especial para a história. Os documentos podem ser lidos e relidos sob diferentes olhares e enfoques. Para tanto, sua preservação é fundamental para que novos estudos se realizem e a produção de conhecimento seja cada vez mais ampliada”.

A iniciativa do Arquivo estimula a sociedade ao reconhecimento como parte da história e problematize o processo de independência nacional e regional, reforça Leonardo Torii, diretor do Apep. “É extremamente importante para o Arquivo Público promover debates através da sua documentação histórica, que ressalta a missão institucional do órgão de preservação e disponibilização dos documentos históricos”, finaliza.

Exposição em escolas

Fazendo parte da programação, na última sexta-feira (13), a exposição “Bicentenário da Independência do Brasil: Registros nos documentos do Arquivo Público” foi recebida na E.E.E.F.M. Augusto Olímpio, propondo aos alunos da instituição um maior contato com as réplicas de documentos raros que registram atos do governo referentes à independência do Brasil. A mostra também será realizada no dia 24 de maio aos alunos da E.E.E.F.M. Renato Pinheiro Conduru, das 9h às 12h.

*Texto por Quezia Dias (Ascom Secult)

Por Thaís Siqueira (SECULT)
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários